Curando o câncer de mama de dentro para fora

Por: Natalia (Argentina)

No final de janeiro de 2018, eu tinha 47 anos e fui diagnosticada com câncer de mama avançado. Era um câncer muito agressivo, o meu peito estava todo tomado pela doença e eu iria fazer quimioterapia e mastectomia. Minha mãe, idosa e doente, e meus filhos pequenos que tanto precisavam de mim. Naquele momento, eu tinha dois pensamentos na cabeça: como posso contar para minha mãe e meus filhos sem que eles sofram? E o que isso me ensinaria?

Meu desejo era descobrir o ensinamento, pegar a intensidade da dor que eu sentia e transformá-la em uma força para superar aquilo; e quando eu olhasse para aquele momento poderia dizer com o meu coração: “Obrigada por isso ter acontecido comigo”. Mas, naquela ocasião, foi muito difícil para mim, então eu orava a Jesus todos os dias e ele me deu forças para seguir sem saber o que havia do outro lado.

Comecei o tratamento mas tive uma complicação e a quimio danificou o meu coração e produziu um problema cardíaco grave. Isso só acontece com 1% das pessoas, mas era a minha vez e eu fui internada em estado crítico na unidade coronária, pois meu corpo não aceitava a medicação que poderia recuperar o meu coração.

Porém, cada momento difícil era seguido de um presente. Depois da minha primeira quimio eu pude sentir a força do amor quando a minha irmã passou os braços em volta de mim. Eu estava tremendo e senti uma corrente elétrica em meu corpo. Ela ficou acordada a noite toda me dizendo, de quando em quando, “eu estou aqui.”

Quando o meu cabelo caiu eu estava sozinha em Buenos Aires (para onde viajava para fazer o meu tratamento) e recebi uma mensagem inesperada no meu celular que dizia: “Bom dia senhora, algo me levou a escrever isto para você. Deus te ama muito e diz que vai dar tudo certo. Nas mãos dele, nada é impossível”; ou quando uma noite fui internada na unidade coronariana porque a quimioterapia tinha prejudicado o meu coração, fiquei completamente sem forças e falei várias vezes até adormecer: “Jesus, não largue a minha mão” para, na manhã seguinte, uma senhora desconhecida bater à porta da sala e dizer: “Pedi para limpar este quarto. Só queria dizer que Jesus está ao seu lado e isso vai passar. Eu também tive câncer que afetou o meu coração e olhe para mim agora, levantando baldes”; ou quando chegou o dia da cirurgia, em 12 de junho de 2018, que foi um sucesso, embora tivesse uma grande probabilidade de que meu coração não resistisse e, por isso, os médicos antes se recusavam a me operar.

O câncer me encheu de gratidão, aprendi que você é muito mais forte do que pensa, que cada dia é uma oportunidade e um presente, que você tem que saborear cada segundo, deixe-se ir “até onde isso possa levar” sem querer ter tudo planejado. Ter confiança em nós mesmos que se em algum momento algo não nos agradar, nunca é tarde. Temos dentro de nós a força para escolher outro caminho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A empresa processa seus dados para facilitar a publicação e gerenciamento de comentários. Você pode exercer seus direitos de acesso, retificação, exclusão e oposição, entre outros, de acordo com nossa Política de privacidade .