O câncer de útero me trouxe um presente

Por: Montse Hidalgo

Venho ensaiando para escrever essas linhas há dias, mas, toda vez que tento, tudo dentro de mim se agita. Alguns anos se passaram desde que recebi a notícia que mudou a minha vida e, mesmo assim, ainda é difícil para mim relembrar daqueles momentos.

Finalmente, depois de muitos rascunhos e algumas lágrimas, decidi escrever estas palavras, caso elas possam ajudar alguém.

Há um ditado que repito muitas vezes que é: “a vida acontece para nós, e não contra nós.” A vida nos traz o que precisamos para nos ajudar a crescer e passar para o próximo nível. Eu acredito nisso, mas, quando se é diagnosticada com câncer, é difícil de aceitar.

Depois de uma separação muito difícil e quando meu filho tinha menos de 2 anos, fui diagnosticada com câncer de útero. No começo eu não entendia nada e me senti sobrecarregada. Depois de muito choro, muitos dias e noites sem dormir, operações e hospitais, um dia, sem saber como ou porque, decidi que tudo o que estava acontecendo comigo teria que ter um motivo. Tanto sofrimento não poderia ser em vão. Isso me levou a mudar de atitude e a entrar em uma busca na qual continuo até hoje para entender por que sofremos, quem realmente somos, o que é a felicidade e se é realmente possível ser feliz…

Graças ao que inicialmente foi tão doloroso, minha vida hoje é completamente diferente. Eu entendi que a dor é obrigatória, mas o sofrimento é opcional. Que você pode ser absolutamente feliz, apesar das circunstâncias. Que a felicidade é um estado de espírito e que, por mais difíceis que sejam as situações, sempre temos a opção de escolher.

Mudei minha vida completamente em todos os sentidos (profissão, ambiente, modo de pensar, hobbies…), e me tornei uma nova pessoa. Hoje posso dizer que graças aquela circunstância sou uma pessoa muito melhor: sou mais feliz, conectada com os outros e, acima de tudo, mais viva do que nunca.

Compreendi que a vida é uma dádiva, que não sabemos quanto tempo temos, mas que cada dia é importante e que não vale a pena perder um segundo desconectado do amor.

Hoje gosto de dizer que a vida às vezes nos traz presentes embrulhados em papel de caca: o embrulho é feio e malcheiroso. Mas, se soubermos ver o brinde que vem dentro e descobrirmos quem realmente somos e por que estamos aqui, tudo fará sentido.

Hoje posso dizer que estou feliz de verdade e que não estaria assim se eu não tivesse passado por aquela dura experiência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A empresa processa seus dados para facilitar a publicação e gerenciamento de comentários. Você pode exercer seus direitos de acesso, retificação, exclusão e oposição, entre outros, de acordo com nossa Política de privacidade .