Meus pacientes são meus heróis e me ensinam a controlar melhor minhas emoções

Por: E.V. (España)

Sempre quis ser enfermeira, pois adoro cuidar dos meus pacientes. Não me lembro de alguma vez ter desejado ser outra coisa.

Aproveitei bastante os meus estudos e sou muito grata por ter sempre trabalhado feliz, independentemente de ser feriado ou não. Desfruto cada dia, tive ótimos chefes que me ajudaram a ser o meu melhor, e sempre trabalhei em um ambiente amigável. Tenho consciência de que isso não é algo que todos vivenciam, então sou grata por isso, pois minha felicidade se reflete na maneira como cuido dos meus pacientes.

Já trabalhei em vários departamentos, mas devo admitir que o que mais me enriqueceu foi o de Oncologia, embora tenha trabalhado lá quando era mais velha, com mais experiência e comprometimento. Às vezes me sinto meio egoísta, porque quanto mais contato tenho com os pacientes, melhor me sinto. É viciante!

O relacionamento entre os pacientes e as enfermeiras é muito especial. As emoções que experimentamos são incríveis. Às vezes complicações surgem e sofremos juntos. Isso não me afeta tanto agora, mas quando comecei a trabalhar minha perspectiva era bem diferente:

Há 23 anos comecei a trabalhar no departamento de Oncologia do hospital. Como trabalhava com pacientes com câncer, como proteção, criei um escudo mental para não sofrer. Isso acabou me distanciando dos pacientes, amigos, família… pois eu não compartilhava como me sentia e negava os sentimentos de mim mesma. Cheguei a sair do trabalho por tornar a situação incontrolável.

Por sorte, coisas que resolvemos na vida sempre retornam: me ofereceram a possibilidade de montar uma nova ala de oncologia no hospital. Desta vez, decidi não me armar com nenhum escudo e deixar minhas emoções fluírem. Felizmente, a maioria dessas emoções são de felicidades quando vejo a melhora dos nossos pacientes!

Não sei expressar o que sinto com o meu trabalho: é euforia! Com apenas um olhar, um sorriso, um abraço… sinto um raio de energia em meu interior! Não vou mentir: também há momentos difíceis. Já chorei com pacientes, com seus familiares, sozinha no depósito, com meus colegas… a gente sempre sente saudade de alguém. Mas não importa, eu prefiro deixar essas emoções saírem ao invés de deixá-las ficarem presas em um escudo mental ou de mentiras.

Agora sou mais velha e posso controlar melhor minhas emoções, sabendo que devo deixá-las fluir. Quando me perguntam como faço isso, respondo: “As enfermeiras ajudam as pessoas em seu nascimento, maturidade e envelhecimento, e é gratificante poder acompanhar os pacientes em todos os estágios da vida, oferecendo conforto, tranquilidade, cuidado e companhia…”

Devo acrescentar que nossos pacientes nos dão uma lição de vida todos os dias. É um sentimento incrível e um presente que todas as pessoas deveriam experimentar. Você aprende a valorizar as coisas na vida de uma maneira diferente, e eu agradeço por isso. Eles são os verdadeiros heróis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

A empresa processa seus dados para facilitar a publicação e gerenciamento de comentários. Você pode exercer seus direitos de acesso, retificação, exclusão e oposição, entre outros, de acordo com nossa Política de privacidade .